Go to Top

Brincar é a melhor forma de aprender

Instigar a curiosidade das crianças e mostrar que a escola pode ser um espaço divertido para conhecer mais sobre o mundo incentiva o aprendizado.

Os primeiros anos que a criança passa na escola são determinantes para que ela tenha um desenvolvimento saudável e completo ao entrar nos ensinos fundamental e médio. Em A construção do Eu, a PhD em psicologia infantil pela Universidade de Denver Susan Harter destaca que é durante esse período que ocorre o desenvolvimento de identidade, diante do questionamento “quem sou eu no mundo?” Nessa fase, os pequenos começam a desenvolver o senso de certo e errado, além de entenderem que existem outras pessoas ao seu redor, com vontades e necessidades diferentes das deles. Logo, o que ela aprende na educação infantil vai influenciar suas atitudes para o resto da vida.

Por isso, é crucial que haja um acompanhamento adequado, que facilite essa compreensão social e a incentive a criar hábitos e valores importantes, como respeitar a opinião do outro, ter empatia, pensar antes de agir e saber se comunicar. É nesse momento também que ela começa a aperfeiçoar as funções motoras e a aumentar o domínio sobre o corpo, o que pode ocorrer por meio da prática de atividades físicas e da alimentação saudável. Também contribuem as experiências artísticas manuais, como desenho e música, atividades que trabalham a coordenação motora e estimulam a criatividade.

Larissa Mendes Andrade, 34 anos, conta que encontrou no Colégio Alub um espaço seguro, com boa infraestrutura e a um valor acessível para matricular as filhas e acabou se surpreendendo com os resultados. “As meninas passaram o ano anterior todinho chorando ao ir para a aula, mas, agora, elas me pedem para ir até no fim de semana. Em um ano, elas aprenderam todo o alfabeto, em inglês e em português, e todas as cores, isso é muito avançado para a idade”, comenta.

As gêmeas Geovana e Isabella Mendes, 4, adoram as aulas de música. “A gente pode tocar todos os instrumentos”, explica Isabella, que lembra ainda das apresentações de balé com as amigas. “Este ano, a gente fez Frozen. Eu fui a Anna e, minha irmã, a Elsa”, conta Geovanna, em referência à animação de 2013 que faz sucesso entre as crianças.

 

Direitos garantidos

A nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), homologada pelo Ministério da Educação em dezembro, garante às crianças que cursam a educação básica seis direitos: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se. O CEO do Alub, Arthur Pinheiro Machado, explica que a sociedade demanda, hoje, competências socioemocionais e criatividade para a solução de problemas, além de constante inovação. Ele acredita que a melhor forma de desenvolver essas habilidades, em consonância com os objetivos de aprendizagem expostos na BNCC, é por meio da diversão, despertando o prazer pelo conhecimento. “Queremos mostrar o mundo de assuntos que existe e que a criança pode aproveitar sem deixar de lado a brincadeira”, observa.

Esse é justamente o objetivo do novo currículo da escola. O Alub está sob a gestão da Educar Holding, um dos maiores grupos de educação básica do país e, para a educação infantil, traz projetos que trabalham com o desenvolvimento do raciocínio lógico, educação financeira, letramento bilíngue e leitura criativa (veja o quadro).

Breno Miguel, 6, completou um ano no Alub e, em tão pouco tempo, mostrou diferenças de comportamento significativas. “Ele lê um livro por dia e já sabe falar várias frases em inglês”, afirma a mãe, Jaqueline Santana, 27. Ela e o marido, Cleistone José da Silva, 39, perceberam um cuidado maior da escola com os deveres de casa e também que o filho está mais sociável, conseguiu se inserir em um grupo de amigos e se comunica melhor, sem contar a alimentação. “Ele come salada todos os dias”, diz.

A mãe relata que Breno gosta bastante de ir para a escola e adora quando a professora o deixa ler na frente da turma ou quando tem uma atividade diferente em sala. Mas, para o menino, o legal mesmo é lutar judô e brincar de pique-pega com os amigos na hora do recreio. “Eu gosto tanto, que acho que vou ser policial quando crescer”, conta.

 

Desenvolvimento completo Educação financeira » Ensina o que é o dinheiro, como funciona o sistema de moedas de troca e apresenta noções de planejamento. “A criança passa a entender o que tem por trás do brinquedo caro que ela pede para os pais e que é preciso se planejar, abrindo mão de outras coisas”, explica Learice Barreto Alencar, gerente educacional do Alub.

Mundo Leitor » Ensina as crianças a lerem por meio das imagens, permitindo que elas percebam o que há nas entrelinhas e façam suas próprias histórias.

Programa Bilíngue da Oxford » Faz com que as crianças entendam o inglês como um conjunto de símbolos, da mesma forma que o português, e se comuniquem pelos dois idiomas.

Escola da Inteligência » Trabalha as emoções e a socialização, ensinando os alunos a se expressarem e aproximando os pais do processo de formação, a partir de palestras bimestrais sobre o desenvolvimento das crianças.

Lego Education » Desenvolve conceitos de ciências e de matemática com base em desafios e em brincadeiras, além de motivar o trabalho em equipe.

Projeto Fit » É um currículo alimentar com tudo o que a criança precisa saber em cada faixa etária. “Elas aprendem o que são os alimentos e, com esse conhecimento e com a autonomia que já trabalhamos na escola, ela decide o que é melhor na hora de comer”, detalha Learice.

Comentários

comentários

, ,